Institucional

Imprensa

Univel adere ao movimento Internacional Maio Amarelo

 

Ações surpresas foram preparadas para conscientizar os alunos e colaboradores sobre os riscos que envolvem os acidentes de trânsito

O Maio Amarelo é um movimento internacional de conscientização para a redução dos acidentes de trânsito, que surgiu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Com o mote “Nós somos o trânsito” o Movimento chega à sua 5ª edição e fomenta na sociedade discussões e atitudes voltadas à necessidade urgente da redução do número de mortes e feridos graves no trânsito. 

O Centro Universitário de Cascavel-Univel preparou diversas ações surpresas para gerar impacto e principalmente reflexão. Além da iluminação especial de cor amarela na fachada da instituição e da divulgação nas redes sociais, foi realizado em parceria com a CETTRANS - Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito, uma abordagem educativa com os acadêmicos, que receberam orientações sobre os cuidados no trânsito. A Univel também realizou parceria com a Polícia Rodoviária Federal, e trouxe para o pátio da instituição um carro batido, resultado de um acidente real e que ficará em exposição durante todo o mês de maio. “O Maio Amarelo é um movimento que nos faz parar e pensar sobre as nossas atitudes no trânsito, principalmente aquelas que tem a necessidade de mudança para preservar vidas. A exposição do veículo batido é um exemplo de uma atitude equivocada no trânsito e que pode levar a morte”, explica o Policial Rodoviário Federal, Félix Ribeiro da Silva.

Nós somos o trânsito

Para um melhor esclarecimento sobre as consequências que um acidente de trânsito pode gerar, a Univel convidou para uma palestra o Promotor de Justiça Alex Fadel, o Policial Rodoviário Félix Ribeiro da Silva e Altair Antonio Alves, vítima de um grave acidente de trânsito que trouxe consequências irreversíveis. “Infelizmente foi um dia que acabou com meus sonhos. Eu havia ingerido bebida alcoólica e estava saindo de uma festa com mais três pessoas, todos estavam sem cinto. O carro capotou e eu fui ejetado para fora. Meu melhor amigo morreu na hora e eu perdi todo o movimento da cintura para baixo, fiquei paraplégico e agora vou ter que passar o resto da vida em uma cadeira de rodas”, conta Altair.

O Promotor de Justiça, Alex Fadel chamou a atenção dos alunos para as consequências drásticas que um acidente de trânsito pode causar. “As penalidades são multas altas, além da punição psicológica. Já pararam para pensar no peso na consciência de uma pessoa que mata alguém no trânsito? Ela fica absolutamente abalada. Você é livre para fazer o que quiser, mas depois arque com as consequências. Acidentes acontecem, mas a responsabilidade é de todos”, ressalta o Promotor de Justiça.

A violência do trânsito de Cascavel também foi lembrada pelo Promotor de Justiça. “O trânsito de Cascavel é tão violento que foi criada uma promotoria de justiça exclusiva para cuidar dessa questão. É muito prazeroso vir conversar com esses jovens, pois são as pessoas que efetivamente são as pessoas podem fazer alguma diferença em tudo que está acontecendo. Como tentei mostrar durante a palestra a questão vai muito além de uma batida de carro ou um acidente no trânsito, é uma questão de educação”, expõe Fadel.

Para finalizar, Altair deixou uma mensagem aos acadêmicos. “Toda vez que vocês pensarem em cometer alguma atitude inconsequente no trânsito, lembrem do que aconteceu comigo. Perdi meu melhor amigo, esposa, trabalho, minha liberdade e tive que me desligar de tudo. Sou o exemplo vivo de uma atitude inconsequente no trânsito. Jamais permitam que isso aconteça com vocês”, finaliza Altair.

Por: Núcleo de Comunicação.

25.05.2018

Galeria de fotos

Univel leva projetos criativos para a Feira InnovaCities e Technovação
Alunos da Univel começam a se preparar para o Projeto Rondon